Rede dos Conselhos de Medicina
Selecione o Conselho que deseja acessar:
Porto Alegre, 06 de Dezembro de 2019. Aumenta a Fonte [ A + ]   [ A - ]  
 

Os médicos no olho do furacão

11/03/2014 09:19:12

Autor: Dr. Fernando Weber Matos
Cargo: Presidente do Cremers

‘Nunca antes na história deste País’ – para usar uma das tantas fanfarronices do ex-presidente Lula, o mesmo que ousou afirmar que a saúde pública brasileira estava se aproximando da excelência - os médicos brasileiros foram tão afrontados e ofendidos como neste ano, que está se esvaindo como a energia e a esperança de milhares de pacientes que padecem nas filas do SUS esperando por atendimento, exames e cirurgias.

Acusados de rejeitarem trabalhos nos pontos mais distantes e na periferia das grandes cidades, os médicos foram jogados no olho do furacão por um governo acuado diante das manifestações que sacudiram o País no meio do ano, cobrando combate efetivo à corrupção e clamando por mais hospitais e menos estádios de futebol. 

De repente, os 400 mil médicos formados em cursos de medicina brasileiros, chancelados pelo Ministério da Educação, foram considerados insuficientes para suprir a demanda da população, em especial a mais carente. Se lá atrás, quando o Cremers e outras entidades do setor sugeriram a criação de um plano de carreira médica no SUS, a proposta tivesse sido considerada e, principalmente, implementada, não haveria a necessidade de importar médicos. 
 
Hoje, os postos de saúde das periferias mais humildes e dos municípios mais longínquos teriam não apenas médicos, mas uma estrutura mínima realmente eficaz para acolher e tratar os pacientes de forma digna. O governo teria um quadro fixo de médicos concursados, realmente qualificados e preparados, distribuídos por todo o País, sem a necessidade de importar profissionais de formação bastante duvidosa, já que não lhes é exigida a revalidação do diploma.
 
Por mais que os gestores da saúde queiram responsabilizar os médicos pelas mazelas da saúde, os fatos comprovam que pirotecnia não resolve a falta de leitos, a superlotação das emergências e, pior de tudo, os enfermos que morrem antes de realizarem os exames necessários.
 
O que conforta a nós, médicos, é que todos sabem, inclusive os que jogam sobre os ombros da classe médica uma responsabilidade que não é sua, que na hora da dor, do sofrimento, do desespero, poderão contar com um médico. E, se puderem escolher, pedirão para serem atendidos por um médico com formação no Brasil. É isso que nos fortalece e nos faz acreditar que o ano de 2014 será melhor para a medicina brasileira.

Institucional Câmaras Técnicas Comissões de Ética Conheça o CREMERS Contas Públicas Delegacias Diretoria Palavra do Presidente Vídeo Institucional História Cremers

Serviços Área do Médico Busca Empresas Busca Médicos Ativos CBHPM Concurso Emissão de Boleto Empregos Eventos Inscrição de Empresas Licitações Pareceres e Resoluções Perguntas Freqüentes Pessoa Jurídica Propaganda Médica Registro de Especialidade Médica

 

 

Imprensa Artigos Assessoria Informativo Cremers Notícias Twitter

Publicações Apresentações para Download Biblioteca Código PEP Regimento Interno dos Corpos Clínicos

 

Contato Fale com o CREMERS Fale com o Presidente Ouvidoria

 

 

 

Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio Grande do Sul - Copyright 2019 ©
Av. Princesa Isabel, 921 - Bairro Santana
Porto Alegre - RS - CEP: 90620-001
Telefone: (51) 3300-5400 e 3219-7544
Fax: (51) 3217-1968
E-mail: cremers@cremers.org.br
Horário de Atendimento:
De segunda-feira a sexta-feira
Das 09h00min às 18h00min