Rede dos Conselhos de Medicina
Selecione o Conselho que deseja acessar:
Porto Alegre, 09 de Dezembro de 2019. Aumenta a Fonte [ A + ]   [ A - ]  
 
22/07/2009

Vasectomia

Resolução CFM nº 1.901/09 regulamenta o procedimento cirúrgico denominado vasectomia.


As operadoras de saúde suplementar estão obrigadas a cobrir o procedimento de esterilização cirúrgica masculina. A inclusão da vasectomia no rol de procedimentos dos planos foi regulamentada no ano de 2008. A Resolução 1.901/09, do Conselho Federal de Medicina (CFM), publicada dia 21 de julho, no Diário Oficial da União, regulamenta o procedimento cirúrgico denominado vasectomia quando for realizado com fins de planejamento familiar. O objetivo da resolução é chamar a atenção de que, nessa situação, a vasectomia não se restringe a uma tecnica cirúrgica, havendo as repercussões da esterilização e as suas consequencias, como por exemplo, a necessidade de uma reversão.

A resolução foi aprovada pelo Conselho, na Sessão Plenária de 9 de julho, e estabelece normas éticas para a esterilização cirúrgica masculina, de acordo com o previsto pela Lei 9.263/96 de 12 de Janeiro de 1996, que trata do planejamento familiar. A legislação permite a esterilização masculina voluntária apenas em pacientes com capacidade civil plena, maiores de vinte e cinco anos de idade ou homens com mais de 18 e menos de 25 anos, desde que já tenham 2 filhos.

Sendo assim, a legislação permite que um adolescente de 18 anos com 2 filhos ou um homem de 26 anos sem filhos possam solicitar sua esterilização, decisão que pode gerar implicações para o médico. Por isso, tanto a Lei 9.263/96, quanto a Resolução prevêem que a vasectomia seja realizada apenas 60 dias após a manifestação de vontade do interessado. O prazo deverá ser usado para conscientização de vários métodos de contracepção, visando desencorajar a esterilização precoce.

A resolução considera também que a reversão da vasectomia é solicitada em 6% dos vasectomizados e que 17% se arrependem ao longo da vida por alterações psicológicas e emocionais. Por essa razão, o coordenador da Comissão do Médico Jovem do CFM, que propôs a resolução, Edevard José de Araújo, explica que o ato médico de esterilização cirúrgica masculina “não é apenas um procedimento de esterilização, mas um ato mais complexo que exige cuidados outros não previstos em lei. O médico que realizou a vasectomia deve estar responsável pela reversão do procedimento.”

Acompanhe na íntegra a Resolução: http://www.portalmedico.org.br/resolucoes/CFM/2009/1901_2009.htm




Institucional Câmaras Técnicas Comissões de Ética Conheça o CREMERS Contas Públicas Delegacias Diretoria Palavra do Presidente Vídeo Institucional História Cremers

Serviços Área do Médico Busca Empresas Busca Médicos Ativos CBHPM Concurso Emissão de Boleto Empregos Eventos Inscrição de Empresas Licitações Pareceres e Resoluções Perguntas Freqüentes Pessoa Jurídica Propaganda Médica Registro de Especialidade Médica

 

 

Imprensa Artigos Assessoria Informativo Cremers Notícias Twitter

Publicações Apresentações para Download Biblioteca Código PEP Regimento Interno dos Corpos Clínicos

 

Contato Fale com o CREMERS Fale com o Presidente Ouvidoria

 

 

 

Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio Grande do Sul - Copyright 2019 ©
Av. Princesa Isabel, 921 - Bairro Santana
Porto Alegre - RS - CEP: 90620-001
Telefone: (51) 3300-5400 e 3219-7544
Fax: (51) 3217-1968
E-mail: cremers@cremers.org.br
Horário de Atendimento:
De segunda-feira a sexta-feira
Das 09h00min às 18h00min